Ah, o feriado

Aproveitei o feriado da semana passada para retorna a Visconde de Mauá. Quando fui para lá da outra vez ainda não tinha me enveredado pelo mundo da marcenaria, então essa viagem foi feita com outros olhos.

A grande “aventura” dessa viagem foi a subida até o Pico da Pedra Selada a 1755m de altura, Trilha de dificuldade média (média, sei). A subida foi “hard” para quem estava 3 meses sem fazer atividades físicas, demorou as duas as duas horas prometidas. Como subi um pouco tarde, não deu para diminuir o ritmo, senão garanto que teria subido numas 3 horas pelo menos, rs.

No caminho para a Pedra Selada passei por um atelie de marchetaria, mas como estava com o foco na pedra fiquei de passar na volta. Bem, quando desci da Pedra Selada (mais 1 hora e meia de descida) não tinha condições de fazer mais nada, e mesmo que tivesse, o atelie já estava fechado.

Voltei no dia seguinte e também não estava aberto, pois já era um pouco tarde, parecia que não conseguiria conhecer o local…  Mas como sou brasileiro e não desisto nunca, domingo, antes de pegar a estrada de volta para casa consegui pegar o atelie aberto. E valeu a pena, tanto pelos objetos como pelo bate papo com o Leonardo Carneiro.

Cara super bom papo, fotografo por profissão de autodidata na marcenaria e agora investindo nos banquinhos, principalmente nos banquinhos de meditação. No local vc encontrará uma exposição dos trabalhos fotográficos e peças de marchetaria como caixas e outros objetos.

Eu a Carla adoramos as fotos do trabalho que ele fez com tribos indígenas no amazonas, na parte da marcenaria gostei muito de um porta incenso com detalhe em “Roxinho”, já as curvas que estão presentes no banquinhos tem um chame todo especial.

Para conhecer um pouco do trabalho, vale uma visita no site, ele me disse que está um pouco desatualizado, mas tem muita coisa legal. Site: Leonardo Carneiro 
Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *